Conhecimento Geral
0

Cerise Doucede e suas belíssimas fotografias

Já conhece a série “Égaremenst”, ou simplesmente “Desordem”, da fotógrafa francesa Cerise Doucede ? A autora da obra utiliza fios para suspender objetos no ar, criando uma falsa ilusão de gravidade, com o objetivo de registrar os elementos como se estivessem congelados no tempo, aparentando estar voando e fora de controle. Em duas séries fotográficas – Égarements (algo como “Distrações”) […]

Cerise Doucede e suas belíssimas fotografias

Já conhece a série “Égaremenst”, ou simplesmente “Desordem”, da fotógrafa francesa Cerise Doucede ?

A autora da obra utiliza fios para suspender objetos no ar, criando uma falsa ilusão de gravidade, com o objetivo de registrar os elementos como se estivessem congelados no tempo, aparentando estar voando e fora de controle.

Em duas séries fotográficas – Égarements (algo como “Distrações”) e Le Quotidien(“O Cotidiano”), a fotógrafa francesa cria uma atmosfera onírica com objetos do dia-a-dia. Para isso, e sem usar Photoshop, a artista suspende em perfeita harmonia centenas de elementos, dando uma sensação de “parada no tempo”.

Cerise Doucede

Uma cozinheira qualquer a descascar maças

Cerise Doucede

Um guri com inúmeros origamis

Cerise Doucede

Costureira Frenética corte&costura

Cerise Doucede

“Sempre me interessei pelos sonhos, sobretudo os momentos em que sonhamos acordados, quando nos perdemos em nossos próprios pensamentos, nos distraímos”, explicou  a fotógrafa ao Slate.“Acho divertido ficar adivinhando sobre o que pensam as pessoas que passam na rua.”

Cerise Doucede

Engenheiro ou não.. ele e sua coleção

Cerise Doucede

A artista

Cerise Doucede

Como as imagens são todas criadas sem o auxílio do Photoshop para inserir as figuras, ela leva dias para compor cada uma das cenas. Isso porque a artista precisa planejar como os objetos estarão dispostos, preparar cada um deles e pendurá-los antes de poder, finalmente, “clicar” a cena.

Segundo a artista, cada imagem representa uma pequena “alucinação diárias”, daquelas que todos podemos vivenciar em nossos cotidianos. É uma forma de tornar visual as nossas “viagens na maionese”.

Cerise Doucede

Cerise Doucede

Cerise Doucede

Bagunça organizada?

Cerise Doucede

Fonte:  La boite verte

Elisa Vieira