Animal
0

Conheça 7 animais com proporções do corpo bastante bizarras

Se você adora animais, já percebeu como a maioria é fascinante e como cada um deles tem peculiaridades incríveis. Geralmente, existe uma harmonia perfeita nas formas e na estrutura de cada animal. No entanto, uma curiosidade bastante forte em alguns deles é a falta de proporção entre algumas partes do corpo. As forças da seleção […]

Conheça 7 animais com proporções do corpo bastante bizarras

Se você adora animais, já percebeu como a maioria é fascinante e como cada um deles tem peculiaridades incríveis. Geralmente, existe uma harmonia perfeita nas formas e na estrutura de cada animal. No entanto, uma curiosidade bastante forte em alguns deles é a falta de proporção entre algumas partes do corpo.

As forças da seleção natural resultaram em algumas espécies verdadeiramente estranhas em relação às suas proporções corporais. São caudas e bicos extremamente compridos, patas desiguais e até mesmo línguas que são tão compridas quanto o seu próprio tamanho total. Confira quais são eles logo abaixo.

7 – A tromba da mariposa-falcão

As chamadas “trombas” dos insetos são as partes de sua estrutura com a qual eles são capazes de sugar o néctar e coletar o pólen das flores com grande eficiência. No entanto, existe uma espécie que tem esse canal de sucção muito mais extenso do que o normal em outros tipos.

Estamos falando da mariposa-falcão de Madagascar, que mede, em média, cerca de sete centímetros, enquanto a sua tromba pode chegar a 28 centímetros, ou seja, quatro vezes o comprimento do corpo.

A estrutura é utilizada para extrair o néctar das orquídeas excepcionalmente profundas em um orifício que é inacessível para a maioria das outras espécies. A tromba é totalmente retrátil, rolando em uma bobina abaixo da boca.

6 – A cauda de fita da ave do paraíso

De aparência incrivelmente bela, a Astrapia rabo-de-fita é uma ave do paraíso que tem as mais longas penas da cauda em relação ao tamanho do corpo.  Nativa das florestas de altitude da Nova Guiné, a sua cauda mede mais de três vezes o comprimento de seu corpo.

As penas gigantes de sua cauda podem se estender mais de um metro de comprimento, superando o tamanho da própria ave, que mede apenas 32 centímetros. Apesar da beleza e do recorde, essas aves enfrentam alguns problemas de movimentação e podem facilmente ficar enroscadas na vegetação.

O voo também fica prejudicado, abrindo vantagem para os predadores. Além disso, por serem tão belas, elas são constantemente caçadas para conseguirem as suas penas, o que as torna alvos de uma espécie em extinção.

5 – O beija-flor bico-de-espada

ShutterstockFonte: Shutterstock

Assistir a um beija-flor sobrevoando as plantas e usando o seu bico para sugar o néctar é algo totalmente belo e harmonioso. Essas aves são finamente adaptadas ao seu estilo de vida em toda a sua estrutura corporal. Tanto que os bicos alongados são necessários para permitir que um pássaro tire proveito de uma fonte de alimento específica.

Para o beija-flor bico-de-espada, uma dieta de flores profundas o deixou com a honra de ser a única ave do planeta com o bico mais comprido do que seu corpo. Medindo 10 centímetros, o bico ultrapassaria em extensão a cabeça e a cauda do próprio beija-flor se fosse colocado ao lado dele. A língua se estende ainda mais, permitindo que a ave esvazie quase toda a flor que ele encontra.

4 – O pernilongo-de-costas-negras

ShutterstockFonte: Shutterstock

De aves pernaltas a natureza está repleta e isso é maravilhoso. As pressões da adaptação levaram um grande número de aves desse porte, incluindo garças, cegonhas e flamingos, a desenvolverem pernas que permitem a capacidade de acesso aos alimentos na água, sem que elas precisem nadar.

No entanto, existe uma pequena ave pernalta que leva o comprimento de suas pernas ao extremo. O pernilongo-de-costas-negras, presente em vários países, detém o recorde de pernas mais longas em relação ao comprimento do corpo.

O corpo desse animal mede de 35 a 40 centímetros a partir de seu bico até a ponta de sua cauda. Já as suas pernas medem de 17 a 24 centímetros, compondo até 60% do comprimento do corpo da ave.

3 – O verme “cadarço de botas”

Com certeza esse é o serzinho mais repugnante da lista. Esse verme, do tipo “cadarço de botas”, é uma espécie não segmentada e tem um incrível potencial de crescimento, que é aparentemente ilimitado.

Tanto que não é incomum que eles cresçam até nove metros, enquanto que o espécime mais longo conhecido já mediu mais de 55 metros. Imagine o tamanho disso? Quando trazidos para a superfície, um verme desse tipo pode se assemelhar a um conjunto de intestinos emaranhados. Eca!

2 – A extensa língua do morcegoAnoura fistulata

Os amiguinhos do Batman detêm geralmente os prêmios de animais mais assustadores ou sugadores de sangue. No entanto, pouca gente imagina que uma das espécies de morcego é conhecida também pela sua extensa língua. O morcego linguarudo em questão é o Anoura fistulata, que é um tipo bem pequeno, sugador de néctar, que foi descoberto nas florestas do Equador em 2005.

O minúsculo morcego tem apenas cinco centímetros de comprimento, mas tem uma língua extensível medindo nove centímetros, quase duas vezes maior do que seu corpo. Assim como os beija-flores, esses morcegos pairam sobre as flores profundas e usam suas longas línguas para alcançar lá dentro. As papilas, finas como cabelo, embutidas em suas línguas lhes permitem recolher o máximo possível de néctar no interior dos tubos.

1 – O caranguejo-violinista

ShutterstockFonte: Shutterstock

Ele não é exatamente um músico praticante de violino, mas esse caranguejo tem uma garra bem maior do que a outra, o que lhe rendeu essa nomenclatura, pois parece que ele carrega com ele um instrumento. O tamanho superdimensionado dessa garra é tanto, que ela pode chegar a ser do mesmo tamanho de todo o seu corpo e esse membro serve para vários usos.

As garras gigantes servem para dominação durante disputas entre machos e em esforços para atrair companheiras. A garra pode ser usada até mesmo para alcançar os corpos de outros caranguejos e atirá-los de lado quando for preciso. Uma pesquisa da Universidade do Texas descobriu que as garras também podem desempenhar uma função importante de termorregulação do animal.

Elisa Vieira