Comida
0

Chef prepara refeição no asfalto para conscientizar população do Paraguai

O aquecimento global é um problema que afeta o mundo todo, especialmente o Paraguai. De acordo com o vídeo que você confere abaixo, nos últimos 50 anos, 80% das florestas nativas do país foram destruídas. Isso rendeu à capital, Assunção, o título de cidade mais quente do mundo. Buscando conscientizar a população e chamar a atenção […]

Chef prepara refeição no asfalto para conscientizar população do Paraguai

O aquecimento global é um problema que afeta o mundo todo, especialmente o Paraguai. De acordo com o vídeo que você confere abaixo, nos últimos 50 anos, 80% das florestas nativas do país foram destruídas. Isso rendeu à capital, Assunção, o título de cidade mais quente do mundo.

Buscando conscientizar a população e chamar a atenção das autoridades locais, a organização World Wide Fund for Nature (WWF) em parceria com a agência Oniria\TBWA encontrou uma maneira criativa de mostrar o tamanho do problema e passar uma importante mensagem sobre o aquecimento global.

Para isso, eles recrutaram o chef de cozinha Rodolfo Angenscheidt para cozinhar ovos, bacon e polenta para um pequeno grupo de convidados. A única diferença é que todas as refeições seriam preparadas diretamente no asfalto quente da cidade de Assunção. O evento ganhou o nome de “Global Warming Menu” e foi acompanhado pela imprensa local.

“Precisávamos de algo impactante para chamar a atenção para um assunto tão importante. E está funcionando. Todo mundo está falando sobre isso no Paraguai e, o mais importante, estão aprendendo quais são as pequenas mudanças que podemos fazer para ajudar o nosso planeta”, comentou Camilo Guanes, diretor da Oniria\TBWA.

O evento foi promovido em fevereiro, quando os termômetros passaram dos 50° C, mas a campanha começou a ser veiculada somente neste mês. Como o próprio vídeo mostra, o evento repercutiu na mídia. Agora é torcer para que as autoridades comecem a tomar providências para que o meio ambiente e a população deixem de sofrer com o aquecimento global.

 

 

Elisa Vieira