Diversão
0

A história sobre a Arca de Noé aconteceu?

O filme Noé estreou no Brasil e já é líder de bilheteria nos Estados Unidos. A produção traz o ator Russel Crowe como o homem (descrito no livro do Gênesis) que foi escolhido por Deus para ser salvo de um dilúvio global junto de sua família, carregando ainda a função de salvar todas as espécies de […]

A história sobre a Arca de Noé aconteceu?

O filme Noé estreou no Brasil e já é líder de bilheteria nos Estados Unidos. A produção traz o ator Russel Crowe como o homem (descrito no livro do Gênesis) que foi escolhido por Deus para ser salvo de um dilúvio global junto de sua família, carregando ainda a função de salvar todas as espécies de animais da Terra, em uma enorme arca.

Porém, pensando nessa história bíblica e todos os seus detalhes que já são contados durante séculos, o quão realista ela é? Segundo a religião abraâmica, Noé construiu a arca a mando de Deus, que havia decidido destruir o mundo por causa da perversidade humana, mas poupou Noé, o único homem justo da Terra em sua geração.

Enquanto muitas pessoas consideram a história da Arca de Noé como apenas um mito ou parábola sobre o castigo de Deus para a maldade do homem, outros acreditam que ela seja historicamente precisa. Para aqueles que acreditam, principalmente entre os cristãos, o conto de Noé descreve eventos que realmente teriam acontecido.

Teorias



Fonte da imagem: Reprodução/Wikipedia

Arca construída com as supostas dimensões da versão bíblica que está exposta na Holanda

De acordo com o Live Science, Henry Morris, um criacionista autor de “A Base Bíblica para a Ciência Moderna”, afirma que a arca seria, essencialmente, uma enorme caixa projetada para se manter estável nas águas do dilúvio, em vez de ser feita para seguir especificamente a algum lugar (como faz um navio).

Ele quis dizer com isso que a função da embarcação era apenas a de flutuar nas águas para a salvação de Noé e sua família, além dos animais. Segundo as teorias de Morris, a arca era mais alta do que um prédio normal de três andares e uma vez e meia o tamanho de um campo de futebol.

Com essa dimensão, a sua capacidade volumétrica total seria igual a 39.500 metros cúbicos, espaço muito mais do que suficiente para levar dois animais de cada espécie conhecida. Parece ser tudo bem específico, não é mesmo? Por isso, muitos especialistas apontaram as falhas nas teorias de Morris.

Muito animal para pouca arca

Fonte da imagem: Reprodução/Wikipedia

As falhas são evidentes quando se considera que, de acordo com muitos criacionistas, a Arca de Noé incluiu até centenas de dinossauros. Isso incluiria, por exemplo, o Brachiosaurus (dois deles, é claro), sendo que cada um pesava cerca de 50 toneladas e tinham 26 metros de comprimento, segundo os paleontologistas.

Mesmo se todas as duplas representantes de animais da Terra pudessem de alguma forma se encaixar na arca, seria necessário espaço suficiente para armazenar água potável e alimentos para meses a fio.

Além disso, ao contrário de muitas representações da arca, Deus teria pedido a Noé para coletar não apenas um par, mas sete pares de animais “puros” e um par de animais “impuros” (Gênesis 7:2-3) de cada espécie, resultando em dezesseis exemplares de cada entre centenas de tipos. Seriam cerca de 70 mil animais na arca, segundo os cientistas declararam recentemente.

Simplesmente não haveria espaço suficiente para todos eles. Haveria também o problema de recolher todas as espécies existentes na Terra, como apontou o professor de antropologia Ken Feder, em seu livro “A Enciclopédia da Arqueologia Incerta”.


Fonte da imagem: Reprodução/His Treasure Seekers

“Como os coalas da Austrália, lhamas da América do Sul e os pinguins da Antártida conseguiram fazer a viagem até o local da arca no Oriente Médio? E como apenas Noé, seus três filhos homens e suas esposas poderiam dar conta de cuidar de todos? Teria sido uma tarefa impossível”, disse Feder escreve.

Ele também questionou sobre como os animais carnívoros se comportariam como “bons meninos” durante cerca de um ano junto com outros sem devorá-los.

Guiada por Deus

Voltando às teorias de Morris, segundo o Live Science, ele falou mais sobre o esquema de navegação da arca. Para ele, o próprio Deus teria conduzido a embarcação, mantendo os seus ocupantes razoavelmente confortáveis no seu interior, enquanto as tempestades e ondas agitavam do lado de fora.

Com isso, Morris levanta a questão porque, se Deus criou o dilúvio global e divinamente guiou a arca, então, presumivelmente, Ele poderia ter feito qualquer outro milagre para garantir o sucesso da missão de Noé — até um encolhimento temporário de todos os animais em tamanho de ratos para ter espaço para todos e facilitar a flutuação.

Outro milagre temporário de Deus para ajudar Noé teria sido permitir que todos vivessem durante quase um ano sem comida ou água.

Um olhar mais atento

Outro problema com a história da arca surge da falta de evidência geológica de um dilúvio global, que é relatado na Bíblia.

Feder observa: “Se um dilúvio mundial tivesse ocorrido, o registro arqueológico de cinco mil anos seria repleto de ruínas, com restos de milhares de cidades e vilas, todas dizimadas pelas águas da enchente, simultaneamente, com a quase aniquilação da raça humana. E se isso aconteceu, não deixou nenhuma marca no registro arqueológico de qualquer lugar”.

A falta de evidência física do grande dilúvio não impediu que os crentes modernos de procurar a Arca de Noé. Porém, o grande barco nunca foi encontrado, apesar de muitas afirmações do contrário.


Suposta arca encontrada no monte Ararate, na TurquiaFonte da imagem: Reprodução/Ark Discovery

Há quarenta anos, Violet M. Cummings, autora de “Arca de Noé: Fábula ou Fato Relevante” (1973), afirmou que a arca havia sido encontrada no Monte Ararate, na Turquia, exatamente como descrito em Gênesis 8:4, na parte que diz: “e no 17 º dia do sétimo mês, a arca veio descansar nas montanhas de Ararate”.

Em fevereiro de 1993, a CBS exibiu um especial de duas horas no horário nobre intitulado “A Incrível Descoberta da Arca de Noé”, em que incluía o testemunho fascinante de um homem que alegou não só pessoalmente ter visto a Arca em Ararate, como também ter recuperado um pedaço dela. Mais tarde, as revelações foram tidas como fraude.

Em março de 2006, alguns pesquisadores descobriram uma formação rochosa no Monte Ararate que se assemelhava a uma enorme arca, mas nada foi realmente concluído.

Poucos meses depois, uma equipe de arqueólogos de uma organização cristã encontrou ainda outra formação rochosa que poderia ser a Arca de Noé e não estava no Monte Ararate, mas nas Montanhas Elburz do Irã. Essa descoberta também foi tida como não plausível.

O fato de que a Arca de Noé ainda permanece perdida em um universo histórico real para muitos, mas totalmente hipotético para outros. É um eterno mistério.

Thiago de Paula

Thiago de Paula

Criador do Fascinante, Publicitário, apaixonado por artes gráficas, música e pizza.